quarta-feira, 12 de agosto de 2015

FODMAPs

Problemas com o funcionamento intestinal, gases,  inchaço e desconforto abdominal, borborigmos (aqueles sons embaraçosos vindos da barriga) e  dor do tipo cólica. Pelo menos um em cada cinco brasileiros refere tais queixas. Quem apresenta esse quadro sabe do que estou falando, e de como a vida poderia ser bem melhor sem esses sintomas.
As  situações que podem estar relacionadas aos sintomas acima são: síndrome do intestino irritável, doenças inflamatórias do intestino,distúrbios relacionados ao glúten e a lactose, intolerância a alimentos e outros.Sendo assim, a conduta adequada é investigar o que realmente está acontecendo e muitas vezes a estratégia é o controle dos FODMAPs.

O são é FODMAPs?
É a sigla paraFermentáveis,Oligossacarídeos,Dissacarídeos,Monossacarídeos e Polióis que  encontram-se numa grande variedade de alimentos que são dificilmente absorvidos pelo intestino delgado. Estes hidratos de carbono mal absorvidos são por sua vez fermentados por bactérias do intestino, produzindo muitos gases. 
Segue abaixo tabela com resumo de alimentos ricos e pobres em FODMAPs , com adaptações para população brasileira:
Frutas Ricas em FODMAPs
Maçã, pera, pêssego, manga, melancia, nectarina, cereja, abacate,sucos naturais, frutas secas, mel, frutose
Frutas pobres em FODMAPs
Banana, carambola,  abacaxi, melão, kiwi, limão, lima, laranja, tangerina, morango, maracujá
Laticínios Ricos em FODMAPs
Leite de vaca, cabra ou ovelha, sorvete, iogurte (mesmo desnatado), queijo fresco e cremoso (ricota, cottage, cream cheese, minas frescal)
Laticínios Pobres em FODMAPs
Leite sem lactose, iogurte sem lactose, leite de soja, leite de arroz ou amêndoa, manteiga e queijos curados, como cheddar, parmesão, brie ou camembert
Hortaliças e Leguminosas Ricas em FODMAPs
Alcachofra, aspargo, beterraba, brócolis, couve, alho, alho-poró, quiabo, cebola, couve-flor, ervilha, grão de bico, feijão, lentilha
Hortaliças e Leguminosas Pobres em FODMAPs
Broto de bambu, cenoura, aipo, milho, berinjela, alface, cebolinha, pepino, abóbora, abobrinha, alface, tomate, espinafre, batata, batata doce
Cereais e Massas Ricos em FODMAPs
Pães, bolos, biscoitos ou cereais contendo trigo e centeio e cereais com xarope de milho
Cereais e Massas Pobres em FODMAPs
Farinhas sem glúten ( farinha de arroz, polvilho, farinha de milho,farinha de quinoa, farinha de mandioca ), pães, macarrão e biscoitos sem glúten, mandioca, fécula de batata, quinoa integral ou flocos, arroz, tapioca, macarrão de arroz
Carnes ( são pobres em FODMAPs )
Carne de gado, peixes,carne de frango, vísceras
Considerações importantes:
-Estudos recentes comprovam que as queixas de sintomas gastrointestinais diminuem para quase metade, quando há o monitoramento de FODMAPs.
- A adequação da alimentação é indispensável para evitar a recidiva do problema.
- Há necessidade da recomposição da microbiota intestinal, para restauração de tecidos e da absorção de nutrientes.
Fontes: SBNPE-Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Os melhores antibióticos naturais


Previna-se e inclua sempre na alimentação, principalmente nesta estação fria.

fonte:EcoPortal.net

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Alimentos Anti-inflamatórios

O estilo de vida atual, está contribuindo para aumentar problemas de saúde como artrite, obesidade, doenças inflamatórias do intestino, fibromialgias e ocasionando um quadro inflamatório.
O caminho é buscar  alternativas para desinflamar, sendo  de relevante importância o consumo de alimentos com estas propriedades.
Um estudo realizado em 2014, mostrou que os participantes que concordaram  seguir uma dieta anti-inflamatória, todos encontraram alivio nas dores habituais, o que fez reduzirem boa parte dos medicamentos.
Confira a seguir os 15 alimentos considerados mais anti-inflamatórios ( folhas verdes, crucíferas, aipo,beterraba, brócolis, frutas roxas, abacaxi,salmão,caldo preparado com osso e cartilagem animal, nozes e castanha,açafrão, óleo de coco extravirgem, semente de linhaça, semente de chia e gengibre.

Fonte: Food is medicine